No sonho do Teu Ideal

Música

            
     
         Jesus... Quando Ressuscitado?


Hoje eu quis te escrever
Por que? Não sei.
Conheci a tua história desde criança.
No catecismo , na Igreja, na escola.
Ainda hoje choro vendo seus filmes.




        Ser tua aliada, com meu jeito de ser.
Sensível e trabalhadora.
Foi o que prometi a mim mesmo
quando dissestes:
          “Vem e segue-me”.



Na forma mais pessoal e profissional.
De ser cristã sem beatitudes.
Ultrapassando a mim mesma
Na busca da coerência, da Tua coerência.
Quando busco a justa cidadania.



Não é isto que Tu queres que eu faça?
No sonho do Teu Ideal?
Uma pátria igual
Para cada um dos brasileiros?



É dura a luta sindical e partidária.
A incoerência do coletivo desorganizado.
Os fracassos, o medo, as faltas de condições.
O sistema concentrador de riquezas:
A dominação, a opressão e a miséria.



Somente tu sabes entender
Os desafios da luta política.
Dos deveres cumpridos
E dos direitos negados aos cidadãos.


Crianças, jovens, adultos pedintes.
Humilhados, em maioria e analfabetos.
Desempregados sem cidadania
Morrendo de fome e noutra dimensão.
Sendo a repetição da história...



Não é isso que Tu queres que eu faça?

Na luta e no Teu Ideal?

Uma Pátria igual

Para cada um dos brasileiros?



É isto que Tu queres que eu faça?

Com o contributo do Teu Ideal na luta...

Uma Pátria igual
Para cada um dos brasileiros?



        Hoje eu quis te escrever, te encontrar.



Poesia feita por Terezinha Pinheiro quando organizava o sindicato de sua categoria, em João Pessoa - PB.(Antes das Políticas Sociais), durante a fundação do SINER-PB.  























                     

A meta


                                                                       
                                 Escute!                  
 

 
Música que ela amava!
                
                   
                                                           
            Terezinha Pinheiro Moreira nasceu na divisa entre os estados da Paraíba e Rio grande do Norte. Natural de Uiraúna- PB porque a cidade de Paraná-RN tem ruas que pertencem ao estado da Paraíba e Rio Grande do Norte. Nossa casa localizava-se na rua que pertence á Paraíba.
            Estudou quando criança em Uiraúna-PB, no Grupo Escolar Jovelina Gomes e aos treze anos interna no  Colégio Francisca Mentes, Catolé do Rocha-PB. Estudou direito na Faculdade de Sousa -PB porém deixou curso para se formar como Assistente Social, na Universidade Federal DE Campina Grande-PB.
  
                                             

        
        






            Ao referir-se ao Colégio Francisca Mendes   ela mesma o descreve:  

          Era o Colégio Francisca Mendes, fundado por freiras franciscanas, onde estudava interna, no início dos anos da década de 1960, em Catolé do Rocha-PB, no alto sertão da Paraíba, na fronteira do Rio Grande do Norte.


          As aulas de Cantos, disciplina curricular não obrigatória, mas contagiante, pela frequência massiva das alunas de todas as séries do turno da manhã. As lembranças que povoam minha memória são boas. Hoje eu compreendo o quanto aprendi naquela época a amar o meu país, a ser cidadã brasileira. A grande musa das canções, a maestrina era uma freira alemã, muito branca, alta, elegante apesar do hábito longo, afilada, de óculos e de voz incomum, Madre Ismolda O.F. Aquelas canções ficaram profundas em meu ser sensível.

          Geralmente elas vêm a minha mente, às vezes uma, às vezes outra... E eu canto baixinho com coração para mim mesma, não com saudade, mas com o coração.


                                 
                                        Terezinha Pinheiro Moreira
                                       Campina Grande - PB, 23 de setembro de 2009.  


Um agradecimento ao Presidente da EMATER- PB Gionane, pelas suas palavras e todo apoio e presença, com sua esposa Simone no funeral de Terezinha Pinheiro.  Coloquei este vídeo também em homenagem aos agricultores que foram trabalhados e cultivados por Terezinha Pinheiro.
       

Escritos

Terezinha Pinheiro Moreira






FLOR EXÓTICA DO SEMIÁRIDO

Diversidade de cores,

Formosas, vibrantes,

Lindas cativantes

Embora efêmeras flores.

Vento leste, vento oeste,

Sopram todas as criaturas

Como certas são fases da lua

Ora cheia, ora minguante,

Como certas suas venturas

Vive a vida que é tua

Luta aguerrida

Dorme e acorda com a natureza

Plena de sol, energia, beleza,

Nascendo e renascendo vidas

Tua terra canta hino de amor

E boas vindas ao teu habitat

Busca nutrientes do corpo e da alma

Busca ajudar as pessoas

Arrefece memórias sofridas

Do êxodo para lá...

Faz o bem que na mente ressoa

Repetitivamente

Ressuscita teu eu coração, emoção,

Fortalece a fé, os sonhos a esperança,

Escreve versos para ti

E para quem amas...

Apaixonadamente

Flor exótica do Semiárido

Abraça uma causa por convicção

O mundo inteiro é tua causa

Faz a tua solidária opção

Flor apreende o segredo das flores,
Amostra mística do Universo.

Aprende com as flores

Que sorriem sempre...

E volta a ser aquela

Raimunda feliz

De antigamente.
                                      Terezinha Pinheiro Moreira

 Esta poesia representa “minhas boas vindas” à ex-colega, grande colega, Raimunda Ferreira, de volta ao Brasil, depois de quase trinta anos fora do seu país, Terezinha.


Uiraúna -PB, 1 de julho de 1991- 22:00h
"Jesus Abandodado sabia a sua dimensão da dor? Tabém eu não. Estou envergando a cruz com muitas dificuldades. Ora com "sim", ora com "não"... È um constante cair e levantar...
      Ela descreve as dificuldades com minha mãe doente e sobre o trabalho. E conclui com a vivência da Palavra.
      Fico na esperança da Palavra de Vida de maio de 91 que leio em Cidade Nova :
          "Todo aquele que ama nasceu de Deus. E conhece a Deus." È uma experiência de Deus na qual a plenitude da paz, de luz e de algriasão esperanças concretas sob forma de cruz...

Último dia dos pais de Terezinha Pinheiro.





Sátiro Francisco Moreira



Do alto de onde moro vejo serras lindas.
Nuvens distantes, afora visão da cidade.
O seu verde marcante a concentrar nuvens e céus além da visão do centro da urbe.
Ora de cinza abraçando-se terra e céus.
Da paisagem parcial leste da Borborema
Vejo o céu sobre minhas saudades.
Nesta manhã, dia dos pais, da varanda de onde moro.
Vejo o grande Pai Criador.
Aqui estou eu olhando os céus, as serras.
Agradeço a ele por mais um dia.
Olhando você papai você vivo na minha lembrança.
Lembro-me daquela atmosfera de céu
 Aqui da terra que era nossa casa, nossa família...
Homem alto, corpo proporcional, longos ombros, sem barriga.
Cabelos finos. Lisos claros, penteados para trás.
Homem simples, manso, rosto risonho, rosado, feliz!
Vestia para sair roupas bem passadas de linho e de algodão, bege, caque.
Mangas compridas de punho dobradas em duas vezes fazendo os gostos de minha mãe...
Em casa, de mangas curtas realçava braços fortes, mais bonitos.
Vejo meu Pai da terra meu gerador.
Na sua eternidade, eternizado em mim.
Agradeço aos três os dons da minha vida terrena.
Obrigada Deus pela vida!
Das origens que ficaram em mim junto aos de minha mãe, apesar de baixinha.
Aqui rezo e adoro.
O grande Jesus filho de Deus Pai criador.
Olhando o meu Pai, no céu do meu ser.
A dimensão do Cosmo.
A beleza deste universo sem fim.
Olhando o firmamento longe, desta via
Contemplando o céu além-cidade!
Encontro galáxias das minhas saudades...
Numa manhã de agosto.
Olhando bem longe a vida
E da minha mocidade.
Vi minha sensibilidade
Transformada em verso.
Hoje dia dos pais. Olho para você Papai!
Revejo a grandeza de Deus e de sua generosidade...
Olho os céus da minha vida, de meu Pai da terra, olho você.
Vejo sua imortalidade.
Como Pai e criador deste universo.
A dimensão deste cosmo e sua beleza sem fim.
Obrigada meu Deus por ótimo dia!
Os gens deixados em mim.
Caracteres físicos e psíquicos.
Uma compleição harmoniosa junto com os de minha mãe.
Obrigada meus pais pela Vida!
Por sua vida perpetuada.
Nos, irmãos José, Conceição.
Em seus netos Marcos, Claudia,
 Marcelo, Natália e Maria Tereza.
Em seus bisnetos  Rafael, João Eduardo, (Rafael e João Marcelo não tinha nascido ainda).
David e João Marcelo.
Obrigada meu Deus por toda minha vida.
Olhando você Papai, no céu de minhas lembranças.
Um homem simples, manso e risonho com as pessoas:
Sátiro Francisco Moreira.
Alto, largo, olhos castanhos e de claro, feições rosadas.
Era um pai bondoso!
Um esposo fiel e feliz!
Olhando o meu Pai vivo no céu das minhas lembranças.
Olho os céus da minha vida...
Olhando o meu Pai no céu do meu ser...
A dimensão do cosmo e a beleza deste universo sem fim.
O perfume daquele cravo que era você papai e os gens do teu amor se perpetuaram em mim, te amo!

Terezinha Pinheiro Moreira
Dia dos pais- 2012.